E o Botafogo foi a campo... protestou e goleou!


E o Botafogo entrou em campo (neste domingo, 28), sob protesto (claro!) e enfático. O time estava todo de preto como prometera, e trazia as frases no uniforme em referência ao racismo e à pandemia do novo coronavírus. Sem seu treinador, Paulo Autuori, que embora liberado da punição insana do Superior Tribunal de Justiça Desportiva do Futebol (STJD), preferiu ficar de fora, amplificando o protesto do elenco.

A equipe alvinegra, que não jogada, e nem treinava, desde o dia 16 de março (quando foi suspenso o campeonato), por causa da pandemia da covid-19 voltou com gosto de gás na boca, como se diz lá no Ceará. Resultado. A Cabofriense pagou o pato. Levou seis, mas ainda conseguiu fazer dois. Os gols alvinegros todos de bela feitura, com destaque para a atuação e o golaço do menino Luís Henrique.

                                              Reprodução de imagem do Instagram do Botafogo 

A goleada (há tempos o Botafogo não fazia tantos gols numa partida) parecia vingar as atitudes insanas dos clubes e federação que defenderam desesperadamente a volta do campeonato carioca enquanto a pandemia da covid-19 dizima vidas humanas. Os jogadores entraram com uma faixa que dizia: “Protocolo bom é o que salva vidas”, uma referência aos protocolos de controle à propagação da doença, sendo um deles o isolamento social, que impede aglomeração, enquanto a disputa de uma partida de futebol já é uma aglomeração em si, ainda que sem torcida, como foi o jogo. Aos dois minutos de jogo, os jogadores alvinegros se joelharam em campo, por um minuto, e fizeram silêncio numa reverencia aos mortos pela pandemia no Brasil.

                                               Reprodução de imagem do Instagram do Botafogo
     
O artilheiro do time Pedro Raul abriu o placar logo no início, ao se jogar de carrinho para aproveitar cruzamento de Luís Henrique pela esquerda. O segundo, logo depois, foi de Cícero em chute na entrada da área ao receber passe de Luís Henrique. O volante jogou de líbero (e parece ter encontrado sua posição no time na era Paulo Autuori). Os dois primeiros gols aconteceram no primeiro tempo.

Na volta do intervalo, a Cabofriense diminuiu com Emerson Carioca, mas na sequência, Pedro Raul fez o terceiro alvinegro, o segundo dele na partida, com assistência de Nazário. Aí o juiz achou um pênalti de Luiz Fernando e Cabofriense diminuiu de novo através de Diego Sales. Depois disso, só deu Fogão, que foi comandado pelo auxiliar técnico Renê Weber. Bruno Nazário fez o quarto quase aos 30 do segundo tempo, e cinco minutos depois, Luís Henrique entrou na área adversária driblando todo mundo e desviou do goleiro, fazendo um golaço. Ainda houve tempo para Caio Alexandre fazer seu primeiro gol como profissional, no fim do jogo, concluindo na entrada da área passe de Lecaros. O volante saiu vibrando muito, disse depois da partida que tinha sonhado com este gol.

A goleada serviu também para melhorar o saldo de gols do Botafogo, que antes era negativo, agora tem dois de saldo. Está em segundo lugar no Grupo A, com 7 pontos, empatado com o Boavista. O grupo é liderado pelo Flamengo com 12 pontos. Na próxima quarta, 1, às 21h30m, o Botafogo vai até a Ilha do Governador encarar a Portuguesa que tem 4 pontos, no mesmo grupo do alvinegro, precisando da vitória, enquanto o Flamengo joga contra o Boavista, no mesmo dia e horário.

Os jogos das semifinais já foram marcados pela Federação do Rio de Janeiro (Ferj), para o dia 5 de julho, próximo domingo, mas o horário não foi definido ainda pela “eficiente” instituição desportiva.

Postar um comentário

Que tal deixar um comentário?

Postagem Anterior Próxima Postagem